Todas as canções de amor

O mito da beleza simplesmente assumiu as funções da “religião” da domesticidade indicada por Friedan. Os termos mudaram, mas o efeito é o mesmo. Referindo-se à cultura feminina dos anos ’50, Friedan lamentou não haver “nenhuma outra forma de uma mulher ser uma heroína” a não ser “não parando de ter filhos”. Hoje em dia, uma heroína não pode “parar de ser linda”.

O movimento feminista quase conseguiu derrubar a economia da versão da feminilidade segundo as revistas. Durante a sua segunda onda, os industriais do setor da confecção ficaram alarmados quando perceberam que as mulheres já não estavam mais gastando tanto com roupas. À medida que as mulheres da classe média foram
abandonando seu papel de dona-de-casa consumidora, entrando para a força de trabalho, seu envolvimento com
questões do mundo exterior ao lar previsivelmente as levaria a perder o interesse total pela realidade separada das

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *