Depoimentos

“Me elogia, vai!
Escreve um troço aí.
Não dói não; faz de conta que eu morri.”

Millor Fernandes

 

Depoimentos em ordem alfabética de quem os fez.

 

Angélica Félix

“Uma mulher de vontade própria, inteligente e decidida. Estas são algumas das características que podemos dizer que formam a personalidade da Vivi. Com ela não tem meio termo, é tudo no preto e no branco. Meias palavras, para quê? Só se for para um jogo de palavras, que afinal, é um dos seus fortes. Esta menina-mulher – menina por ter uma alma linda e mulher por ter uma força que só ela sabe de onde tirar -, pode entusiasmar quem for com palavras cheias de sabedoria e, o que é ainda melhor, muito bem escritas ou ditas. Nada de trocar mau por mal, ou menos por ‘menos’, que isso certamente vai doer seus ouvidos e você vai ouvir uma aula, gratuita, de como usar bem a língua portuguesa. Mas, sabe o que é melhor em tudo isso, ela vai enriquecer o seu ‘caldo de cultura’, o seu ‘conhecimento de mundo’. O que, para mim, é sempre muito bom. Adoro as dicas culturais e de comportamento, mas principalmente aqueles seus textos que nos faz refletir sobre o que é modinha ou o que realmente importa para a nossa experiência de vida. Para mim, eles são verdadeiros “tapas com luvas de pelica” na face da sociedade. E se há duvida de que a Vivi pode despertar alguém para a vida, leia seus textos de reflexão e você verá que sim, ela pode! Não há uma só vez em que, depois de trocar umas palavras com esta garota, você não saia com uma visão mais ampla das coisas que acontecem ao seu redor. E isso se reflete em seus textos. Tenho certeza que escrever este blog não será nada ‘trabalhoso’. Sabe por quê? Porque ela faz com prazer, porque é apaixonada pelo que faz. E tudo o que se faz com o coração é prazeroso e divertido. Parabéns Vivi pela iniciativa. Estou certa de que serei sua leitora assídua e, quem ler a sua primeira publicação, também te seguirá. Afinal, aprendemos com você todos os dias. Beijos no coração e que você seja sempre iluminada para doar um pouco do seu brilho para as pessoas.”

 

Carlos Santis

“É motivador quando encontramos pessoas como a Viviane, uma pessoa que escreve com a alma, expressando-se de maneira suave e ao mesmo tempo com a força de um furacão. E assim de frase em frase ela vai criando um caminho de informações e conhecimento, incentivando, alegrando e transformando a leitura de seus textos em viagens de aprendizado. Que ela continue nos proporcionando estes momentos mágicos, continue escrevendo!”

 

Fátima Capucci

“A Viviane faz parte da minha há 18 anos. Encontrava-me em uma fase difícil: recém-separada e com dois filhos bem pequenos. Nos conhecemos no trabalho e ela foi um ponto de apoio para mim. Depois, mudei-me para São Paulo e a Vi veio para cá também. Trabalhamos juntas novamente. Desta vez ela era cliente e eu agência. Nossos laços pessoais foram se fortalecendo. Ela sempre diz que sou sua “fada madrinha”. Acho um pouco exagerado, mas fico feliz, pois sinto-me elogiada e acarinhada. Hoje pouco nos vemos, mas torcemos infinitamente uma pela outra e nos sentimos próximas via redes sociais. E o Acervo da Vicky é um dos meios pelos quais nos falamos. Assim como ela, eu também gosto de escrever. E somos críticas, muito críticas com os nossos textos e os alheios… quase chatas! E, como uma revisora contumaz, fico impressionada como a leitura do Acervo da Vicky flui. Dá vontade de ler até o fim. Saber como a história (ou estória) termina. Textos com ritmo. Sim. Porque os textos têm ritmo e também desafinam. E como! Mas a Viviane nos conduz até o ponto final do último parágrafo com muita cadência e sem errar no tom. É isso, Vi. Muito bacana esta sua iniciativa. O Acervo da Vicky é uma graça. Leve e correto como você. Obrigada por compartilhar suas experiências e impressões conosco.”

 

Ivonira Andrade

“Falar da Vicky é muito bom, pois se trata de alguém com um gosto muito apurado e que enxerga longe. E agora este maravilhoso acervo, que nos traz uma gama de assuntos escolhidos a dedo e com o olho clínico de quem sabe o que está falando. Além de que este jeito de menina-mulher faz dela uma pessoa pra lá de interessante. Querem conhecer melhor esta pessoinha tão especial? Vicky é independente, não pode ficar confinada a quatro paredes, não só paredes literais, mas também e principalmente àquelas que a limitam intelectualmente. Escrever pra Vicky é como alçar voar, um vôo que não tem como lhe prender a nada. Este acervo é uma nave pilotada pela Vicky que nos levará ao universo do saber. Parabéns Vicky!”

 

Joselani Soares

“A vida é interessante porque é cheia de pessoas interessantes. Pessoas que nos cativam, instigam, sabem fazer mais e melhor – ou de um jeito diferente. E o que dizer de uma pessoa que, com uma característica forte para ajudar, se tornou uma menina-correio e contribuiu para fortalecer amizades? Esta é a Viviane, que por quase dois anos fez as vezes de pombo-correio. Sim, isso foi lá nos idos dos anos 1990, quando fazíamos o curso técnico de Publicidade e Propaganda, na escola Maria Augusta. Já nos conhecíamos do Cene Silva Prado, onde começamos juntas o primeiro ano do ensino médio. A partir do segundo ano, deixei o Cene e fui fazer o técnico no Maria Augusta, à noite. E a Vivi ficou estudando nas duas escolas. Haja disposição! Bom, voltando à história do pombo-correio… ela pegava minhas cartas à noite e levava pela manhã para dois grandes amigos da época do Cene, Fábio e Luciano, e eles me escreviam de volta. À noite, durante o intervalo da aula, eu lia e escrevia a resposta. Parece pouco, mas não foi. A sua solicitude foi fundamental para eu trocar correspondência e ficar mais próxima de pessoas queridas, ainda que por meio de cartas com amigos em época que não havia e-mail, sms, msn, facebook, whatsapp e tantos outros meios de comunicação instantânea que temos hoje. Imagine a importância disso num período como a adolescência, quando tudo é urgente e intenso! Depois da faculdade, Vivi e eu nos afastamos por alguns uns anos, e recentemente retomamos o contato. Percebi que ela mantém a essência de menina levada, de inteligência aguçada e de muito bom humor – às vezes, ácido, o que também me agrada muito. Além de tudo, Vivi é uma pessoa franca, direta, que não deixa para amanhã o que pode ser falado hoje. Se mais gente fosse assim, o mundo seria menos hipócrita e mais coerente. Vivi, boa sorte em seu blog e em todas as suas empreitadas, e que estas resultem em muitas conquistas e muitas alegrias.”

 

Josué Brasil

“Tão raro encontrar pessoas com habilidade para dividir, com qualidade, ideias e experiências. Mais do que isso: distribuir bom gosto e bom senso, sensibilidade e gosto pela vida. Assim é o conteúdo deste blog que, com certeza, agradará muito a uma legião de pessoas que, como eu, amam ter contato com bons conteúdos.”

 

Lia Schinetski

“Conheço a Viviane há 15 anos, desde quando comecei a namorar seu irmão. Logo percebi que tínhamos muitas afinidades. E nas nossas rotineiras trocas de e-mails ficava evidente que ela tinha muito talento para escrever. Até os acontecimentos mais banais ela contava escrevendo de um jeito especial que tornava tudo mais interessante. Por isso há alguns anos atrás eu a incentivei a escrever um livro. E até fiz uma dedicatória falando sobre isso em um livro que dei a ela, da Clarice Lispector, de presente de Natal. Ela não tinha muita certeza sobre isso, talvez achasse que seria de certa forma muita pretensão. Aí veio outra ideia: Porque não escrever um blog? E que bom que ela aceitou a sugestão! No blog ela fala um pouco de tudo, deixando bem claros os seus gostos e preferências. Em se tratando de livros e músicas, principalmente, temos gostos muito parecidos. E a Vi é minha “emprestadora” oficial. Desde que a conheci não preciso comprar mais nada, todos os livros que leio e CDs que escuto é ela quem me indica e empresta. Isso mesmo! Nos tempos de iTunes e Spotify, a gente ainda curte CDs. Somos das antigas!!!”

 

Manuela Nogueira

“Conheci a Vivi por acaso. Foi atraves de um amigo em comum, mas foi bem por acaso. Na epoca, ela veio morar aqui na Inglaterra e entrou em contato comigo. Eu nao sei muito bem ‘comecar’ uma amizade com desconhecidos, mas o jeito que a Vivi escrevia, e claro, o fato de termos esse amigo em comum, foi me envolvendo naturalmente, e assim comecou nossa amizade: por emails, e as vezes pelo telefone. Quando nos falavamos, falavamos por um tempao, a voz dela transmitia honestidade e interesse, e isso me agradou desde sempre. O que mais me lembro daquela epoca eram os emails longos dela tipo generico, que ela ela enviava para os amigos no Brasil por exemplo, contando sobre a vida dela aqui, suas impressoes, experiencias etc. Adorava aqueles emails, ela escrevia de uma maneira envolvente, clara, analitica e ao mesmo tempo sem perder o romantismo. Ah, sinto falta daqueles textos! E mais recentemente, disse pra ela que ela tinha muito talento como publicitaria! Ela me convenceu a assistir uns filmes que eu nao teria assistido se nao tivesse sido pelo jeito dela ‘marketeira’ de falar sobre algo. Gosto muito tambem de como ela consome livros, admiro muito isso. Infelizmente, nunca conseguimos nos encontrar pessoalmente no Reino Unido. Hoje, depois de 15 anos, ja’ nos vimos algumas vezes pessoalmente no Brasil. Sempre como se fosse uma velha amiga, porque e’! As vezes ficamos sem nos falar por um tempo, mas sempre voltamos uma pra outra de uma maneira ou outra. Ela e’ brava. Exigente. Sem freio na lingua. Inteligente e interessada. Amiga fiel. Nunca a ouvi falando mal de outros amigos. Recentemente, eu durona, precisei de colo e ela prontamente e sem questionar, ofereceu-o de bracos abertos. Nunca me esquecerei de que como me emocionei com a atitude dela. Obrigada Vivi! E eu tambem estou aqui. Um forte abraco.”

 

Mário Galvão

“Viviane é uma mulher de vontade, mas não aquela vontade, assim, meio devagar, comedida e cautelosa, mas uma vontade dinâmica, cheia de energia e força que não se abate diante dos problemas, não vacila diante das incertezas, não se contenta com o êxito, ou fica esperando recompensas. Para ela o que mais interessa é firmar-se num propósito inabalável de realizar seus sonhos. E taí! O Acervo da Vicky um baú vintage cheio de novidades, antigas e contemporâneas, surpresas e balbúrdias, sossego e caos, achados e perdidos, e textos escritos à flor da pele que nos trazem leves arrepios de reflexão como em um desses momentos em que falamos de coisas sagradas, apaixonantes e sobrenaturais, tudo num só lugar. Portanto, não se conforme, se informe! Acompanhe a mídia! Saia do chão! Chegue às nuvens! Você vai se inspirar e se render, porque vontade aqui é o que não falta!”

 

Marla Ludtke

A Vivi é apaixonada pelas palavras e entende muito bem sobre elas. Cuidado com o que você escreve pra ela…nada escapa a sua esperteza com as regras gramaticais. Mas ela não é só razão, pelo contrário. É quando ela fala de coisas do coração que as palavras lhe saem com mais brilhantismo.

Foi devido à paixão em comum pelos livros  e pela escrita que nos conhecemos. E em quase todas nossas conversas mais memoráveis, livros, crônicas e escritores aparecem como pauta. 
Não sei ao certo todos os denominadores que formam bons escritores, mas posso dizer com certeza que a Vivi soma vários deles: paixão por leitura, alto nível de conhecimento da língua portuguesa, fluidez e sinceridade, muita sinceridade. Ela mostra quem é naquilo em que escreve. Então se você quer ter o prazer de conhecer mais uma pessoa maravilhosa na vida, se esbalde sem medo no acervo da Vicky.